Páginas

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Governo confirma descoberta de megarreserva de petróleo

Jazida, que fica no pré-sal da costa do Rio de Janeiro, pode ter até 15 bi de barris de óleo


A ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) confirmou nesta sexta-feira (29) a descoberta de um megapoço de petróleo no campo de Libra, que fica na camada do pré-sal da bacia de Santos, abrangendo parte do litoral do Rio de Janeiro, toda a faixa litorânea de São Paulo e do Paraná e parte do litoral de Santa Catarina.


Em nota, a agência informou que o volume de óleo “pode variar entre 3,7 e 15 bilhões de barris, sendo a estimativa mais provável de 7,9 bilhões de barris, de acordo com avaliação da certificadora Gaffney, Cline & Associates”.


A ANP destaca que essa jazida do campo de Libra "pode vir a ter um volume de óleo recuperável superior às atuais reservas provadas brasileiras, próximas de 14 bilhões de barris de petróleo". Isso significa que a megarreserva anunciada nesta sexta-feira - com os possíveis 15 bilhões de barris - pode ser maior que todo o petróleo que o Brasil tem até agora.


O comunicado afirma que a "descoberta, situada no 'gigantesco prospecto Libra' conforme expresso no relatório da certificadora, valoriza enormemente o patrimônio da União".


A bacia de Santos tem área de aproximadamente 352 mil km² e o megapoço fica a 183 km da costa do Rio de Janeiro, em uma profundidade de 1.964 m.


Até agora, foram perfurados 5.410 m no campo Libra, com 22 m perfurados no pré-sal. A profundidade final prevista, de cerca de 6.500 m, deve ser atingida em dezembro.


A Petrobras começou, na última quinta-feira (28), a exploração comercial do pré-sal. Na data, o navio-plataforma Cidade de Angra dos Reis entrou em operação.


A cerimônia, que ocorreu no Rio de Janeiro e marcou o início da extração de óleo, contou com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


A embarcação é do modelo FPSO, que significa, na sigla em inglês, unidade flutuante que produz, armazena e exporta óleo e gás. O navio está ancorado em local onde a profundidade da água é de 2.149 m e poderá produzir até 100 mil barris de óleo e processar até 5 milhões de metros cúbicos de gás por dia.


A Petrobras anunciou ainda, na última quarta-feira (27), a descoberta de petróleo no primeiro poço perfurado em águas ultraprofundas da bacia de Sergipe-Alagoas, no Nordeste brasileiro. A área é explorada pelo consórcio formado pela Petrobras (com 60%) e IBV-Brasil (40%).

Nenhum comentário: