Páginas

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Brasileiros gastam como nunca no exterior


Os gastos de brasileiros em viagem ao exterior continuam a crescer, segundo dados do Banco Central (BC), divulgados nesta segunda-feira. De janeiro a setembro, os brasileiros gastaram no exterior US$ 11,468 bilhões, contra US$ 7,467 bilhões registrados nos nove meses de 2009. Os estrangeiros gastaram no Brasil, de janeiro a setembro, US$ 4,322 bilhões, contra US$ 3,868 bilhões em igual período de 2009. Somente no mês de setembro, os brasileiros gastaram US$ 1,580 bilhão contra US$ 1,053 bilhão no mesmo mês de 2009. Os gastos de estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 454 milhões, em setembro, contra US$ 401 milhões em igual período do ano passado.
Enquanto isso, a balança comercial brasileira registra superávit de US$ 274 milhões na quarta semana deste mês, entre os dias 18 e 24. As exportações ficaram em US$ 4,659 bilhões e as importações, em US$ 4,385 bilhões. Na média por dia útil, o saldo é de US$ 54,8 milhões, com as exportações no valor de US$ 931,8 milhões e as importações em US$ 877,0 milhões, na mesma base de comparação.
No acumulado do ano, até o dia 24 de outubro, a balança comercial obteve superávit de US$ 14,463 bilhões, com exportações de US$ 158,779 bilhões e importações de US$ 144,316 bilhões. Na média por dia útil, o saldo é de US$ 71,2 milhões, valor 35,5% inferior ao registrado em igual período do ano passado.
Ainda nesta segunda-feira, o secretário de Comércio Exterior da pasta, Welber Barral, também anunciou a revisão da meta de exportações para este ano. A atual meta do MDIC é de US$ 180 bilhões e foi elevada em junho passado, quando a expectativa era de US$ 168 bilhões.
Mais investimentos
No front da economia privada, o investimento estrangeiro direto, em setembro, superou a projeção do Banco Central para o período (US$ 2,7 bilhões). No mês passado, os investidores aplicaram no setor produtivo do país US$ 5,391 bilhões, contra US$ 1,816 bilhão de setembro de 2009. De janeiro a setembro, o investimento estrangeiro direto somou US$ 22,632 bilhões, contra US$ 17,672 bilhões registrados em igual período de 2009. Para este ano, a expectativa do BC é que esses investimentos fiquem em US$ 30 bilhões. No ano passado, foram 25,949 bilhões. Para 2011, a projeção é de US$ 45 bilhões.
Já o déficit em transações correntes, registro das operações de compra e venda de mercadorias e serviços com o exterior, ficou em US$ 3,850 bilhões, em setembro, contra US$ 2,452 bilhões registrados em igual período de 2009, ainda segundo o BC. O resultado corresponde ao projetado pelo Banco para o período (US$ 3,8 bilhões). No mês passado, a balança comercial registrou superávit de US$ 1,092 bilhão, ante US$ 1,309 bilhão registrado em setembro do ano passado. A conta de serviços e renda (remessas de lucros e dividendos, pagamentos de juros, viagens internacionais e outros) ficou negativa em US$ 5,172 bilhões, contra US$ 4,109 bilhões observados no mesmo mês de 2009.
Nos nove meses do ano, o déficit em conta-corrente está em US$ 35,063 bilhões, ante US$ 12,061 bilhões observados no mesmo período do ano passado. De janeiro a setembro, a balança comercial registrou superávit de US$ 12,773 bilhões, com exportações de US$ 144,929 bilhões e importações de US$ 132,156 bilhões. No mesmo período de 2009, o superávit comercial foi de US$ 21,183 bilhões.
A conta de serviços e rendas registrou déficit de US$ 50,1 bilhões, contra US$ 35,832 bilhões de igual período do ano passado.

Nenhum comentário: