Páginas

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Frota circulante do País cresce 8% e idade média cai, aponta estudo

SÃO PAULO – A frota circulante no País cresceu 8% em um ano e a idade média dos veículos caiu de 9 anos para 8 anos e 10 meses, constatou levantamento feito pelo Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores) e pela Abipeças (Associação Brasileira da Indústria de Autopeças).

Em 2009, a frota circulante no país somou quase 30 milhões de veículos, sendo quase 24 milhões de automóveis e 4,3 milhões de comerciais leves. Desse total, mais de 3,1 milhões são de importados. Entre 2008 e 2009, houve um crescimento de 27,3% no número de importados na frota circulante.

De acordo com o estudo, considerando as vendas internas, houve um acréscimo de 9,6% nas comercializações de veículos no País.

Combustível

Em 2006, 73% dos veículos leves produzidos para o mercado interno tinham a tecnologia flex. Em 2009, esse percentual passou para 89%.

Apesar do crescimento da produção de veículos flex, considerando a frota circulante, os veículos bicombustíveis representaram, em 2009, 31% da frota – um aumento de 7 pontos percentuais frente a 2008.

Os veículos movidos a gasolina ainda são maioria e representam 54% da frota. Apesar disso, na comparação com 2008, é possível constatar uma queda de 4 pontos percentuais.

Também houve queda no número de veículos circulantes movidos apenas a álcool, que passaram a representar 5% da frota, ante os 10% verificados em 2008. Considerando os veículos movidos a diesel, a participação passou de 8% para 10%.

Sobre o estudo

O Estudo Frota Circulante Brasileira é feito há 20 anos e baseia-se na venda de veículos no mercado interno desde 1957. Os cálculos são feitos com base na frota circulante de cada modelo, considerando um índice médio de mortalidade de 1,5% ao ano para a linha leve: 1% por perda total em acidentes e 0,5% por roubo sem recuperação.

Nenhum comentário: